facebook vkontakte e signs star-full

Roxitromicina - Bula

Para que serve

No tratamento das infecções causadas por microrganismos sensíveis à roxitromicina, em otorrinolaringologia, pneumologia, dermatologia, em infecções genitais, exceto as causadas por gonococos e na profilaxia da meningite meningocócica em contactantes.

Contraindicação

Hipersensibilidade à roxitromicina, cloranfenicol, clindamicina e demais antibióticos macrolídeos ou a qualquer outro componente da fórmula.  Uso concomitante com alcalóides vasoconstritores do ergot, especialmente a ergotamina e a diidroergotamina. Gravidez, lactação e insuficiência hepática.

Como usar

Adultos:

300 mg por dia de preferência antes das refeições, durante 10 dias.

Os comprimidos revestidos devem ser ingeridos preferencialmente em jejum, antes das refeições.

O período de tratamento é de 5 a 10 dias ou a critério médico.

No tratamento de Criptosporidiose:

300 mg, 2 vezes ao dia, por 4 semanas.

Precauções

O Roxitromicina (substância ativa deste medicamento) não é indicado para o tratamento da gonorréia e das infecções causadas por Pseudomonas sp. A administração do Roxitromicina (substância ativa deste medicamento) não é recomendada em pacientes portadores de insuficiência hepática; quando necessário deve ser acompanhada de testes regulares da função hepática, e eventualmente uma redução posológica. Apenas 12% da dose administrada é excretada através dos rins, portanto, não é necessária a redução da posologia em caso de insuficiência renal.

Embora a meia-vida da roxitromicina seja alongada em pacientes idosos, não se faz necessária uma redução/modificação posológica, uma vez que as concentrações plasmáticas máximas da droga atingem um estado de equilíbrio após administração de doses repetidas.

Ainda não foi estabelecida a segurança do uso do Roxitromicina (substância ativa deste medicamento) durante a gravidez.

Embora seja pequena, apenas 0,05% da dose de roxitromicina é excretada no leite materno, portanto, não é aconselhada sua administração em mulheres lactantes.

Reações Adversas

Podem ocorrer as seguintes reações adversas:

 Gastrintestinais: náuseas, vômitos, diarréia, cólicas e desconforto abdominal. Alérgicas: reações alérgicas cutâneas, como urticárias e erupções foram relatadas. Hepáticas: aumento transitório possível das transaminases (TGO e TGP), podendo evoluir excepcionalmente para uma hepatite colestática.

Podem ocorrer ainda cefaléia, tontura, fraqueza e alterações no hemograma.

Preço

Sem ofertas
Este sitio utiliza cookies. Continuar usando recurso, acepta los terminos y políticas de tratamiento de datos personales.