facebook vkontakte e signs star-full

Rivastigmina - Sandoz - Bula

Principio activo: Hemitartarato de Rivastigmina

Composição

Apresentações

Rivastigmina 1,5, 3,0, 4,5 e 6,0 mg – embalagens contendo 28 cápsulas.

Uso oral.

Uso adulto.

Composição

Cada cápsula de 1,5 mg contém:

Hidrogenotartarato de rivastigmina 2,4 mg (equivalente a 1,5 mg de rivastigmina).

Excipientes: dióxido de silício, hipromelose, estearato de magnésio, celulose microcristalina, óxido férrico amarelo, dióxido de titânio e gelatina.

Cada cápsula de 3,0 mg contém:

Hidrogenotartarato de rivastigmina 4,8 mg (equivalente a 3,0 mg de rivastigmina).

Excipientes: dióxido de silício, hipromelose, estearato de magnésio, celulose microcristalina, óxido férrico amarelo, óxido férrico vermelho, dióxido de titânio e gelatina.

Cada cápsula de 4,5 mg contém:

Hidrogenotartarato de rivastigmina 7,2 mg (equivalente a 4,5 mg de rivastigmina).

Excipientes: dióxido de silício, hipromelose, estearato de magnésio, celulose microcristalina, óxido férrico amarelo, óxido férrico vermelho, dióxido de titânio e gelatina.

Cada cápsula de 6,0 mg contém:

Hidrogenotartarato de rivastigmina 9,6 mg (equivalente a 6,0 mg de rivastigmina).

Excipientes: dióxido de silício, hipromelose, estearato de magnésio, celulose microcristalina, óxido férrico amarelo, óxido férrico vermelho, dióxido de titânio e gelatina.

Para que serve

A rivastigmina é usada no tratamento de problemas de memória e demência em pacientes com doença de Alzheimer ou doença de Parkinson.

Como o Rivastigmina - Sandoz funciona?

A rivastigmina pertence a uma classe de substâncias conhecida como inibidores da colinesterase.

A rivastigmina tem como substância ativa a rivastigmina que age aumentando a quantidade de acetilcolina no cérebro, substância que é necessária para um bom funcionamento cognitivo, como por exemplo, o aprendizado, a memória, a compreensão e a orientação, bem como a habilidade do paciente de lidar com situações do cotidiano. Agindo dessa maneira, a rivastigmina ajuda a diminuir o declínio mental que ocorre em pacientes com a doença de Alzheimer ou com a doença de Parkinson.

Contraindicação

Não tome rivastigmina:

Se você souber que é alérgico (hipersensível) à rivastigmina ou a qualquer outro componente da fórmula; Se você já teve uma reação alérgica a algum medicamento similar a este.

Se isso aplicar a você, não use rivastigmina e informe ao seu médico.

Como usar

Siga cuidadosamente todas as instruções dadas pelo seu médico. Não exceda a dose recomendada.

Engula as cápsulas inteiras com líquido, sem abrir ou mastigar.

Posologia do Rivastigmina - Sandoz

Seu médico irá indicar a dose de rivastigmina que você deverá tomar, começando com uma dose baixa e aumentando gradualmente, dependendo da sua resposta ao tratamento. A dose máxima permitida é de 6 mg duas vezes ao dia.

Quando tomar rivastigmina

Você deve tomar rivastigmina duas vezes ao dia, uma vez no café da manhã e outra no jantar. Tomar rivastigmina no mesmo horário todos os dias o ajudará a lembrar quando tomar o medicamento.

Por quanto tempo tomar de rivastigmina

Para ter os benefícios do medicamento, você deve tomá-lo todos os dias.

Informe ao seu cuidador que você está tomando rivastigmina. Informe também se você não estiver tomando rivastigmina por mais do que três dias.

A prescrição deste medicamento precisa de aconselhamento especializado antes do seu início e uma avaliação periódica dos benefícios terapêuticos.

Seu médico também irá monitorar seu peso enquanto estiver utilizando este medicamento.

Se você tem dúvidas sobre quanto tempo deverá tomar rivastigmina, fale com seu médico ou farmacêutico.

A duração do tratamento dependerá da resposta ao medicamento. Portanto, a posologia deverá ser orientada exclusivamente pelo seu médico.

Se você parar de tomar rivastigmina

Não pare de tomar rivastigmina ou altere a dose sem o conhecimento do seu médico. Somente o médico poderá avaliar a eficácia da terapia.

Caso você esteja há mais do que três dias sem tomar rivastigmina, não tome a próxima dose sem antes conversar com o seu médico.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

O que devo fazer quadno eu me esquecer de usar o Rivastigmina - Sandoz?

Se você se esquecer de tomar uma dose de rivastigmina, aguarde para tomar a próxima dose no horário usual. Não tome o dobro da dose de rivastigmina para compensar a dose esquecida.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Precauções

Tome um cuidado especial com rivastigmina:

Caso você apresente reações gastrintestinais, como náuseas (se sentir enjoado), vômitos e diarreia. Você poderá ficar desidratado (perder muito líquido) se os vômitos ou a diarreia forem prolongados; Se você tem ou tenha tido batimentos cardíacos irregulares (palpitação); Se você tem ou tenha tido úlcera gástrica ativa; Se você tem ou tenha tido obstrução urinária (dificuldade para urinar); Se você tem ou tenha tido convulsões (ataques ou crises epilépticas); Se você tem ou tenha tido asma ou doença respiratória grave; Se você sofre de tremores; Se você tem um baixo peso corporal (menos de 50 kg); Se você tem problemas nos rins e fígado.

Se algum destes itens se aplicar a você, seu médico pode precisar monitorá-lo mais proximamente durante o uso deste medicamento.

Converse com seu médico imediatamente se você tiver uma inflamação da pele, bolhas ou inchaço da pele que estão aumentando e se espalhando.

Se você passou por um período de mais do que três dias sem tomar a rivastigmina, não tome a próxima dose sem antes conversar com o seu médico.

Reações Adversas

Assim como com todos os medicamentos, os pacientes que tomam rivastigmina podem experimentar efeitos secundários, embora nem todas as pessoas os apresentem.

Não se assuste com essa lista de possíveis efeitos adversos. Você pode não apresentar nenhum deles.

Esses efeitos tendem a ser mais frequentes quando você inicia a medicação ou passa para uma dosagem maior. As reações adversas desaparecem aos poucos, muito provavelmente porque seu corpo acostuma-se com o medicamento.

As reações adversas podem ocorrer com determinadas frequências, que são definidas como segue:

Muito comum - afeta mais de 1 em 10 pacientes; Comum - afeta entre 1 e 10 a cada 100 pacientes; Incomum - afeta entre 1 e 10 a cada 1.000 pacientes; Rara - afeta entre 1 e 10 a cada 10.000 pacientes; Muito rara - afeta menos de 1 a cada 10.000 pacientes; Desconhecida - a frequência não pode ser estimada a partir dos dados disponíveis.

Muito comuns (ocorre em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

Se sentir enjoado (reações gastrintestinais tais como náusea), vômito, diarreia, tontura e perda de apetite.

Comuns (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

Agitação, confusão, ansiedade, dor de cabeça, sonolência, dores de estômago, desconforto no estômago após as refeições, fraqueza, sensação de mal-estar, fadiga, transpiração, perda de peso e tremor. Informe ao seu médico caso estes efeitos desagradáveis persistam.

Algumas reações adversas podem ser sérias Incomuns (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

Depressão e desmaio.

Raras (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

Ataques ou crise epiléptica (convulsões), dor no peito, forte dor no peito (ataque cardíaco) e úlceras gástrica ou duodenal.

Muito raras (ocorre em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento)

Alucinações, problemas com o ritmo cardíaco (batimento acelerado ou retardado), sangue na evacuação ou ao vomitar (hemorragia gastrintestinal), dor intensa na parte superior do estômago, frequentemente com náusea e vômito (inflamação do pâncreas), vômito grave que pode levar à ruptura do esôfago.

Desconhecidas

Perda de muito líquido (desidratação), pele amarela, amarelamento do branco dos olhos, escurecimento anormal da urina ou náuseas inexplicadas, vômitos, cansaço e perda de apetite (distúrbios hepáticos), inflamação da pele, bolhas ou inchaço da pele que estão aumentando e se espalhando, membros rígidos, mãos trêmulas (sintomas extrapiramidais).

Se você apresentar qualquer uma destas reações, pare de tomar rivastigmina e procure um médico imediatamente.

Outras reações adversas

Incomuns (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

Dificuldade para dormir, alterações nos resultados dos testes de função hepática e quedas acidentais.

Raras (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

Erupções da pele e prurido (coceira).

Muito raras (ocorre em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento)

Pressão alta, infecção do trato urinário (dor para urinar), rigidez muscular, dificuldade em administrar movimentos (agravamento dos sintomas da doença de Parkinson ou desenvolvimento de sintomas similares).

Desconhecidas

Agressividade e agitação. Se você apresentar qualquer uma destas reações de forma grave, informe ao seu médico.

Algumas reações adversas são menos frequentes em pacientes com demência associada à doença de Parkinson

Perda de apetite, tontura e diarreia (comum).

Algumas reações adversas são mais frequentes em pacientes com demência associada à doença de Parkinson

Tremores, quedas acidentais (muito comum), perda de muito líquido (desidratação), dificuldade em dormir, agitação, agravamento dos sintomas da doença de Parkinson ou desenvolvimento de sintomas similares (movimentos lentos anormais, movimentos incontroláveis da boca, língua e membros, rigidez muscular, diminuição anormal dos movimentos musculares), pressão arterial alta (comum), postura anormal com controle pobre de movimentos e problemas com ritmo cardíaco (rápidos e lentos) (incomum).

Algumas reações adversas adicionais em pacientes com demência associada à doença de Parkinson são:

Salivação excessiva, modo de caminhar anormal, tontura e dor de cabeça leve devido à pressão arterial baixa (comum).

Outras reações adversas relatadas com rivastigmina

Comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

Incapacidade de reter adequadamente a urina (incontinência urinária).

Incomuns (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

Perda da coordenação, dificuldade em falar e distúrbios nos sinais do cérebro (acidente vascular cerebral), confusão grave e agitação incomum, inquietação (hiperatividade).

Adicionalmente, informe ao seu médico ou farmacêutico se você apresentar qualquer outra possível reação adversa não listada na bula.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também a empresa através do seu serviço de atendimento.

Superdosagem

Informe ao seu médico se você tomar acidentalmente mais rivastigmina do que foi indicado.

Você poderá precisar de cuidados médicos. Algumas pessoas que tomaram acidentalmente muita rivastigmina tiveram náusea, vômito, diarreia, pressão alta e alucinações. Batimento cardíaco lento e desmaios também podem ocorrer.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Cuidados de Armazenamento

As cápsulas devem ser conservadas em temperatura ambiente (entre 15 e 30 °C).

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas

Rivastigmina 1,5 mg:

Cápsula amarela opaca.

Rivastigmina 3,0 mg:

Cápsula laranja opaca.

Rivastigmina 4,5 mg:

Cápsula vermelha opaca.

Rivastigmina 6,0 mg:

Cápsula de tampa vermelha e corpo laranja, opaca.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

População Especial

Pessoas idosas (com idade de 65 anos ou mais)

A rivastigmina pode ser usada em pacientes idosos.

Crianças e adolescentes

O uso de rivastigmina em crianças e adolescentes não foi estudado e, portanto, não é recomendado.

Dirigir e operar máquinas

Seu médico irá informá-lo se a sua doença o permite dirigir veículos e operar máquinas com segurança.

A rivastigmina pode causar tontura e sonolência, principalmente no início do tratamento e quando há aumento de dose. Portanto, você deve aguardar e certificar-se sobre os efeitos que o medicamento pode lhe causar, antes de se arriscar em tais atividades. Se sentir tonturas ou sonolência, não dirija, utilize máquinas ou realize outras tarefas que requeiram sua atenção.

Gravidez e lactação

Em caso de gravidez, os benefícios da rivastigmina devem ser avaliados contra os possíveis efeitos sobre o feto. Informe ao seu médico se estiver grávida ou se planeja engravidar.

Você não deve amamentar durante o tratamento com rivastigmina.

Peça orientações ao seu médico ou farmacêutico, antes de tomar qualquer medicamento durante a gravidez ou amamentação.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Dizeres Legais

Reg. MS - 1.0047.0489

Farm. Resp.: Cláudia Larissa S. Montanher CRF - PR nº 17.379

Importado e Registrado por: Sandoz do Brasil Indústria Farmacêutica Ltda. Rod. Celso Garcia Cid (PR - 445), Km 87, Cambé - PR CNPJ: 61.286.647/0001-16 - Indústria Brasileira Fabricado e Embalado por: Novartis Farmacéutica S.A. Barcelona – Espanha

Ou

Embalado por: Novartis Biociências S.A. Taboão da Serra – SP

Venda sob prescrição médica.

Só pode ser vendido com retenção da receita.

Preço

Sem ofertas
Este sitio utiliza cookies. Continuar usando recurso, acepta los terminos y políticas de tratamiento de datos personales.