facebook vkontakte e signs star-full

Riboflavina - Bula

Para que serve

Este medicamento é indicado para o aporte de vitaminas correspondentes às necessidades diárias dos adultos e crianças acima de 11 anos, em situações que necessitem de uma suplementação de vitaminas por via injetável, quando o aporte oral for contraindicado, impossível ou insuficiente (desnutrição, má-absorção digestória, nutrição parenteral).

Contraindicação

Este medicamento é contraindicado em casos de hipersensibilidade conhecida a um de seus componentes ou em casos de hipervitaminose pré-existente. 

Este medicamento também é contraindicado para pacientes que apresentaram sinais de intolerância à tiamina (vitamina B1). 

Este medicamento é contraindicado para uso por pacientes com hipervitaminose pré-existente ou que apresentaram sinais de intolerância à tiamina. 

Este medicamento é contraindicado para menores de 11 anos.

Como usar

Em perfusão ou por via intravenosa

Dissolver o conteúdo do frasco-ampola com 5,0 mL de água para injeção imediatamente antes da administração; A injeção intravenosa deve ser realizada lentamente (pelo menos 10 minutos) ou por perfusão, em solução salina isotônica ou solução de glicose; Riboflavina (substância ativa) pode entrar na composição de misturas nutritivas associando glicídios, lipídios, aminoácidos, eletrólitos, desde que uma verificação prévia de sua compatibilidade e estabilidade seja feita.

Por via intramuscular, dissolver o conteúdo do frasco-ampola com 2,5 mL de água para injeção imediatamente antes da administração. 

Riboflavina (substância ativa) deve ser aplicado exclusivamente pelas vias de administração indicadas. A administração do produto por outras vias é contraindicada. 

Posologia

Adultos e crianças acima de 11 anos

1 frasco/dia. 

Posologia específica

Quando as necessidades de nutrientes forem elevadas (queimaduras graves, por exemplo), pode-se administrar 2 a 3 frascos de Riboflavina (substância ativa) por dia. 

O ajuste de dose em pacientes pediátricos (> 11 anos) e idosos deve ser realizado em função da idade, do estado nutricional e da doença. Não há cuidados específicos destinados a pacientes idosos. 

Via de administração intravenosa, intramuscular ou por perfusão. 

Vide item “Precauções” para outras orientações de ajuste de dose para doenças específicas. 

Precauções

Riboflavina (substância ativa) não contém vitamina K. Esta deverá ser administrada separadamente caso necessário.

Não infundir em pacientes que apresentaram sinais de intolerância à tiamina (vitamina B1); Visto que foi observada uma elevação das transaminases em alguns pacientes que apresentavam enterocolite inflamatória, é recomendado observar os níveis de transaminases nesses pacientes; Devido à presença de ácido glicocólico, a administração repetida e prolongada em pacientes apresentando icterícia ou colestase relevante, necessita de uma observação atenta das funções hepáticas; Em razão da presença de vitaminas lipossolúveis (A, D, E) nesse medicamento, Riboflavina (substância ativa) deve ser administrado com precaução em pacientes que recebam retinol, vitamina D ou E de outras fontes ou no caso de insuficiência renal. 

Efeitos sobre a aptidão para conduzir veículos e utilizar máquinas

Sem efeito. 

Uso em pacientes pediátricos e idosos

O ajuste de dose em pacientes pediátricos (> 11 anos) e idosos deve ser realizado em função da idade, do estado nutricional e da doença.

Não há cuidados específicos destinados a pacientes idosos. 

Gravidez e Lactação

Na ausência de estudos, é recomendado não administrar Riboflavina (substância ativa) em gestantes. 

Categoria “C” de risco na gravidez. 

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Reações Adversas

Levando-se em conta a presença de tiamina (vitamina B1), é possível observar reações anafiláticas em pacientes que apresentam um histórico de hipersensibilidade.

Também há possibilidade de dor no local da injeção intramuscular. Nesse caso, é aconselhada uma injeção intravenosa lenta ou intramuscular profunda. 

Visto que foi observada uma elevação das transaminases em alguns pacientes que apresentaram enterocolite inflamatória, é recomendado observar os níveis de transaminases nesses pacientes. 

Em caso de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária – NOTIVISA ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

Preço

Sem ofertas
Este sitio utiliza cookies. Continuar usando recurso, acepta los terminos y políticas de tratamiento de datos personales.