facebook vkontakte e signs star-full

Ranitzen - Bula

Principio activo: Cloridrato de Ranitidina

Para que serve

No tratamento de úlcera duodenal, úlcera gástrica, úlcera pós-operatória, esofagite de refluxo, síndrome de Zollinger - Ellison.

Contraindicação

Hipersensibilidade ao componente da fórmula.

Como usar

Adultos: Úlcera duodenal, úlcera gástrica evolutiva e esofagite:Um comprimido 150 mg duas vezes ao dia, pela manhã e à noite, ou um comprimido de 300 mg, em dose única, ao deitar. A duração do tratamento é geralmente de 4 semanas.

Crianças: Xarope - 2 a 4 mg/kg, duas vezes ao dia. Pode-se chegar ao máximo de 300 mg de ranitidina por dia.

Precauções

O tratamento com Cloridrato de Ranitidina (substância ativa) pode mascarar sintomas relacionados ao carcinoma gástrico e, assim, retardar o diagnóstico da doença. Diante de suspeita de úlcera gástrica, deve ser excluída a possibilidade de patologia maligna antes de se instituir a terapia com Cloridrato de Ranitidina (substância ativa). Como a Cloridrato de Ranitidina (substância ativa) é excretada por via renal, é esperado que os níveis plasmáticos aumentem ou se prolonguem diante de insuficiência renal. Na vigência de insuficiência renal, recomenda-se ajuste posológico, de acordo com o clearance.

Deve-se evitar o uso de Cloridrato de Ranitidina (substância ativa) em pacientes com história de porfiria aguda, visto que há relatos, embora raros, de crises dessa doença precipitadas pela Cloridrato de Ranitidina (substância ativa). É recomendado o monitoramento regular dos pacientes que estão em terapia concomitante com antiinflamatórios não-esteroidais e Cloridrato de Ranitidina (substância ativa), especialmente dos idosos e daqueles com histórico de úlcera péptica.

Em idosos, pacientes com doença pulmonar crônica, diabetes ou imunodeprimidos, pode haver aumento do risco de desenvolver pneumonia comunitária. Em um grande estudo epidemiológico, observou-se risco relativo ajustado de 1,63 (95% IC, 1,07-2,48) em usuários de drogas antagonistas do receptor H2, em comparação a pacientes que interromperam o tratamento.

Efeitos na habilidade de dirigir e operar máquinas

Não há efeitos reportados relacionados ao uso de Cloridrato de Ranitidina (substância ativa).

Fertilidade

Não há dados sobre o efeito da Cloridrato de Ranitidina (substância ativa) na fertilidade humana. Não houve efeitos na fertilidade masculina ou feminina em estudos realizados em animais.

Gravidez e lactação

A Cloridrato de Ranitidina (substância ativa) atravessa a barreira placentária e é secretada no leite materno. Como qualquer droga, o medicamento só deve ser usado durante a gravidez e o aleitamento caso seja essencial.

Categoria B de risco na gravidez.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Fonte: Bula do Profissional do Medicamento Antak.

Reações Adversas

As reações adversas estão classificadas segundo o sistema orgânico e a frequência - muito comum (>1/10), comum (>1/100, 1/1.000, 1/10.000, <1/1.000) e muito rara (<1/10.000).

Os eventos adversos foram estimados com base em relatos espontâneos pós-comercialização.

Reações raras (>1/10.000 e <1/1.000)

Reações de hipersensibilidade (urticária, edema angioneurótico, febre, broncoespasmo, hipotensão e dor no peito). Conforme relatos, esses eventos ocorreram após uma única dose. Mudanças transitórias e reversíveis nos exames de função hepática. Esses sintomas são normalmente reversíveis. Erupções cutâneas.

Reações muito raras (<1/10.000)

Leucopenia e trombocitopenia, geralmente reversíveis; agranulocitose ou pancitopenia, algumas vezes com hipoplasia ou aplasia medulares. Choque anafilático. Conforme relatos, esses eventos ocorreram após uma única dose. Confusão mental, depressão e alucinação reversíveis. Esses sintomas foram relatados predominantemente por pacientes gravemente enfermos e por idosos. Cefaleia (às vezes, grave), vertigem e movimentos involuntários reversíveis. Visão turva reversível. Esse sintoma é sugestivo de alteração de acomodação visual. Como ocorre com outros antagonistas do receptor H2, bradicardia, bloqueio atrioventricular e assistolia (apenas quando se usa a apresentação injetável). Vasculite. Pancreatite aguda, diarreia. Hepatite (hepatocelular, hepatocanalicular ou mista), com ou sem icterícia. Esses sintomas são normalmente reversíveis. Eritema multiforme, alopecia. Artralgia e mialgia. Nefrite aguda intersticial. Impotência reversível e alterações nas mamas (como ginecomastia e galactorreia).

Em caso de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária – NOTIVISA, disponível em http://www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/index.htm, ou à Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

Fonte: Bula do Profissional do Medicamento Antak.

Preço

Sem ofertas
Este sitio utiliza cookies. Continuar usando recurso, acepta los terminos y políticas de tratamiento de datos personales.