facebook vkontakte e signs star-full

Geldrox - Bula

Principio activo: Hidróxido de Alumínio

Para que serve

Hidróxido de Alumínio (substância ativa) é destinado ao tratamento da azia ou queimação decorrente de hiperacidez gástrica.

Fonte: Bula do Profissional do Medicamento Pepsamar.

Contraindicação

Hidróxido de Alumínio (substância ativa) é contraindicado em pacientes com hipersensibilidade aos componentes da fórmula, hipofosfatemia ou obstrução intestinal.

Este medicamento é contraindicado para uso por pacientes com insuficiência renal severa.

Fonte: Bula do Profissional do Medicamento Pepsamar.

Como usar

Hidróxido de Alumínio (substância ativa) deve ser mastigado ou dissolvido na boca segundo esquema posológico recomendado.

Evitar a ingestão de Hidróxido de Alumínio (substância ativa) em doses superiores à posologia máxima por períodos maiores que 2 semanas.

Fonte: Bula do Profissional do Medicamento Pepsamar.

Posologia do Hidróxido de Alumínio

Dois a quatro comprimidos mastigáveis, cerca de uma hora após as refeições e ao deitar, ou de acordo com orientação médica.

Não há estudos dos efeitos de Hidróxido de Alumínio (substância ativa) administrado por vias não recomendadas. Portanto, por segurança e para garantir a eficácia deste medicamento, a administração deve ser somente pela via oral.

Fonte: Bula do Profissional do Medicamento Pepsamar.

Precauções

O Hidróxido de Alumínio (substância ativa) promove a retenção de fosfato. Por isso, é recomendável manter uma dieta rica em fósforo.

O Hidróxido de Alumínio (substância ativa) não é bem absorvido pelo trato gastrointestinal e efeitos sistêmicos são raros em pacientes com função renal normal. No entanto, altas doses, ou uso prolongado, ou mesmo em doses normais nos pacientes com dieta pobre em fósforo ou crianças menores de 2 anos de idade, pode resultar em depleção de fosfato (devido à ligação alumínio-fosfato) acompanhada de aumento da reabsorção óssea e hipercalciúria com o risco de osteomalácia.

Monitorização médica é recomendada em caso de uso prolongado ou em pacientes com risco de depleção do fosfato.

O Hidróxido de Alumínio (substância ativa) pode ser inseguro em pacientes com porfiria que estejam fazendo hemodiálise.

O acúmulo de alumínio pode agravar os sintomas da doença de Alzheimer nos pacientes submetidos à diálise crônica.

O Hidróxido de Alumínio (substância ativa) pode causar constipação. Deve ser usado com cautela em casos de sangramento intestinal, prisão de ventre e presença de hemorroidas.

O produto não deve ser utilizado por mais de duas semanas, sem prévia avaliação.

Gravidez e lactação

Não há estudos que comprovem a segurança de Hidróxido de Alumínio (substância ativa) durante a gravidez.

Estudos em animais indicam que existe baixo risco de toxicidade do alumínio através do leite. Como o produto é pouco absorvido pela mãe quando utilizado como recomendado, este medicamento é considerado como compatível como a amamentação. Não existem estudos disponíveis sobre o uso de Hidróxido de Alumínio (substância ativa) em mulheres grávidas.

Nenhuma conclusão pode ser extraída sobre o uso de Hidróxido de Alumínio (substância ativa) durante a gravidez. Hidróxido de Alumínio (substância ativa) deve ser usado durante a gravidez somente se os benefícios potenciais para a mãe excederem os riscos potenciais, incluindo aqueles para o feto.

Categoria de risco na gravidez: C. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

Populações especiais

Altas doses deste medicamento podem provocar ou agravar obstrução intestinal e ileus em pacientes de alto risco como pacientes com insuficiência renal, crianças menores de 2 anos de idade ou pacientes idosos.

Pacientes idosos

Este medicamento deve ser utilizado com cautela pelos pacientes idosos, pois o uso prolongado pode provocar a diminuição da concentração de fósforo, aumento da eliminação de cálcio e o acúmulo de alumínio no organismo. Esses distúrbios podem agravar as doenças ósseas.

Pacientes com insuficiência renal

Este medicamento deve ser utilizado com cautela por pacientes com insuficiência renal, pois estes apresentam os níveis plasmáticos de alumínio e magnésio aumentados. Nesses pacientes, a exposição prolongada a altas doses de sais de alumínio e de magnésio pode causar encefalopatia, demência, anemia microcítica ou piora da osteomalácia induzida por diálise.

O uso prolongado de antiácidos em pacientes com insuficiência renal deve ser evitado.

Outros grupos de risco

No caso de sangramento intestinal, prisão de ventre ou hemorroidas, Hidróxido de Alumínio (substância ativa) não deve ser utilizado por mais de duas semanas.

Os antiácidos não devem ser usados em crianças com menos de 6 (seis) anos de idade.

Fonte: Bula do Profissional do Medicamento Pepsamar.

Reações Adversas

Por possuir ação adstringente, o Hidróxido de Alumínio (substância ativa) e todos os seus derivados podem causar constipação.

A administração de altas doses pode causar obstrução intestinal.

O Hidróxido de Alumínio (substância ativa) pode provocar náuseas e vômitos.

A administração de Hidróxido de Alumínio (substância ativa) a pacientes com dieta pobre em fosfato pode ocasionar a depleção de fosfato acompanhada pelo aumento da reabsorção óssea e hipercalciúria com o risco de osteomalácia.

Os sais de alumínio são pouco absorvidos pelo trato gastrintestinal, e os efeitos sistêmicos são raros em pacientes com função renal normal.

Em pacientes com comprometimento renal crônico, o acúmulo de alumínio pode provocar osteomalácia ou doença óssea adinâmica, encefalopatia, demência e anemia microcítica.

A seguinte faixa de frequência foi utilizada na descrição das reações adversas:

Muito comum (ocorre em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento); Comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento); Incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento); Rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento); Muito rara (ocorre em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento); Desconhecida (não pode ser estimada com os dados disponíveis).

Reações adversas são incomuns nas doses recomendadas.

Distúrbios do sistema imunológico

Desconhecida

Reações de hipersensibilidade como prurido, urticária, angioedema e reações anafiláticas.

Distúrbios gastrointestinais

Incomum

Diarreia ou prisão de ventre.

Distúrbios do metabolismo e nutrição

Desconhecida

Hiperaluminemia; hipofosfatemia em uso prolongado, ou em altas doses, ou mesmo em doses normais do produto em pacientes com dieta pobre em fósforo ou em crianças menores de 2 anos de idade, nos quais pode resultar em aumento da reabsorção óssea, hipercalciúria, osteomalácia.

Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária - Notivisa, disponível em http://portal.anvisa.gov.br/notivisa, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

Fonte: Bula do Profissional do Medicamento Pepsamar.

Riscos

Não use este medicamento em caso de doença dos rins e dor abdominal aguda.

Preço

Sem ofertas
Este sitio utiliza cookies. Continuar usando recurso, acepta los terminos y políticas de tratamiento de datos personales.